Assembleia de Freguesia de Custóias aprovou...

Integração do saldo da gerência anterior

 

Tal como exige a lei, Custóias realizou uma sessão da Assembleia de Freguesia para integrar o saldo da gerência de 2004 no orçamento deste ano. É um reforço de verbas para continuar o trabalho na freguesia.

 

A Assembleia de Freguesia de Custóias foi calma e aprovou a primeira revisão orçamental que, segundo o que manda a lei, serve essencialmente para integrar no orçamento deste ano o saldo da gerência de 2004. O documento acabou por ser aprovado com os votos favoráveis do PS, tendo a Coligação Matosinhos Melhor e a CDU optado pela abstenção.

 

A sessão ficou ainda marcada pelas questões colocadas a José Tunes pela oposição acerca de problemas que se vão fazendo sentir na freguesia. Pela CDU, Eduardo Pena relembrou algumas obras necessárias em pavimentos de ruas de Custóias, bem como o mau estado que começa a verifica-se no jardim público na Quinta do Vieira. Por seu lado, Vítor Sousa (Coligação Matosinhos Melhor), lamentou que a freguesia "não tivesse feito parte do mapa do Mês do Desporto", organizado pela Câmara Municipal de Matosinhos. "Para quando Narciso Miranda vem também aqui anunciar obras e lançar primeiras pedras?"

 

José Tunes, em resposta, salientou que Custóias está a atravessar um período de obras estruturais - como é o caso do Metro, a VRI e o IP4. Obras que estão a causar alguns problemas aos arruamentos, mas que se espera, findas essas intervenções, tudo fique resolvido. No que toca ao jardim da Quinta do Vieira, o Presidente da Junta lembrou que aquela zona tem tido corte na pressão da água. Ora, com pouca pressão, os aspersores da rega automática não sobem. Logo, a rega não tem sido feita, o que faz com que o jardim esteja a degradar-se. Uma vez que a falta de pressão de água se deve ás obras do Metro, José Tunes garantiu que irá apresentar a factura dos danos à empresa responsável.

 

Durante a votação da primeira revisão orçamental, Eduardo Pena mostrou-se surpreendido pela "Junta estar a ser mãos largas para as colectividades". A isto José Tunes respondeu que nunca foi sua política dar dinheiro por dar às colectividades. "Prefiro dar matéria prima."

 

Nesta sessão da Assembleia de Freguesia de Custóias ficaram ainda aprovadas as condições para a contratação de pessoal em regime de contracto a termo certo. Trata-se de acautelar eventual vagas no quadro de pessoal que se abram até ao final deste mandato. Em Outubro, no entanto, o documento agora aprovado perde validade.

 

 

Por: Laura Vieira in Matosinhos Hoje edição de 22-06-05

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003