Guilherme Pinto visitou as várias frentes de obra em Matosinhos

IP4 revoluciona o trânsito

 

Guilherme Pinto considera que a ligação do IP4 entre os nós de Sendim e de águas Santas vai “revolucionar” a mobilidade em Matosinhos. Durante uma visita ao local, o presidente da câmara destacou a importância da obra, que vai ter ligação com as principais vias nacionais.

 

Após trinta anos de espera, a ligação do IP4 entre os nós de Sendim, em Matosinhos, e de Águas Santas, na Maia, entrará em funcionamento na primeira quinzena de Novembro. Esta nova via vai revolucionar a mobilidade no concelho matosinhense e vai permitir a entrada em funcionamento da Via Regional Interna (VRI) e da VILPL (Via Interna de Ligação do Porto de Leixões), que já está construída, mas que só poderá entrar em funcionamento após a conclusão do IP4.

 

A poucas semanas da conclusão, o presidente da Câmara de Matosinhos realizou uma visita de trabalho ao longo dos 13 quilómetros de estrada. Esta obra estruturante, que está a ser construída pela Estradas de Portugal, vai permitir uma maior rapidez e fluidez no atravessamento do concelho, de poente para nascente, bem como uma melhoria nas acessibilidades do concelho. Com a entrada de funcionamento do IP4 todas as freguesias de Matosinhos estarão a uma distância de “cinco minutos”.

 

Esta nova via tem ligação de Custóias ao nó da VRI (IC 24) com ligação ao aeroporto – numa extensão superior a 5 km rasgando Guifões e Santa Cruz do Bispo e interliga VILPL, uma via exclusiva ao Porto de Leixões que entrará em funcionamento até ao final do ano e que vai retirar cerca de dois mil camiões, por dia, da malha urbana da cidade. Esta fase da obra está mais atrasada devido à construção de um viaduto que tem de ser edificado por cima da linha do metro. Devido à especificidade desta construção, os trabalhos são mais demorados. “Queremos retirar os pesados da malha urbana e esta será a maior revolução que irá acontecer até ao final do ano”, salienta Guilherme Pinto.

 

A visita incidiu, sobretudo nos nós de entrada e saída do IP4 e da ligação da nova via com as estradas municipais. Ao longo dos 13 quilómetros existem seis nós de acesso. No total a obra custou aos cofres do Estado cerca de 150 milhões de euros.

 

Durante o percurso, Guilherme Pinto mostrou o local onde será construído o novo campo do Custóias Futebol Clube, ao lado do estabelecimento prisional. Recorde-se que o antigo equipamento teve de ser demolido, uma vez que no local irão nascer as estações de serviço.

 


 

Via estruturante

Reivindicações da autarquia

 

Para Guilherme Pinto, esta visita de trabalho serviu para ver ‘in loco’ como estão a decorrer os trabalhos na construção dos acessos e na ligação ao IP4 com a malha urbana. Além disso, o autarca lembrou que uma das alterações impostas no desenho inicial incidiu na restituição da ligação pedonal do lugar de S. Sebastião, em Leça do Balio, que foi suspensa com a construção da Via Norte. Desta forma a população da zona poderá ter os acessos facilitados. Guilherme Pinto lembra ainda que estas ligações irão potenciar a economia na Área Metropolitana do Porto. “As ligações com os grandes eixos económicos vão-se fazer com mais rapidez”, destaca.

 

 

Por: Pedro Miguel Rodrigues in O Primeiro de Janeiro edição de 14-10-06

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003