CDU questiona os motivos pelos quais o posto da GNR de Custóias está por inaugurar

Posto da GNR em Custóias: Falta de gás ou agenda complicada?

 

A demora na inauguração do posto da GNR de Custóias foi discutida durante a assembleia de freguesia. O assunto foi levantado por Eduardo Pena (CDU). Na origem de tudo, parece estar a falta de instalação de gás ou a agenda do ministro da Administração Interna.

 

A construção do posto da GNR para a vila de Custóias foi, durante muito tempo, uma aspiração da sua população. Uma vez concluída a obra, torna-se agora necessário proceder à sua inauguração. Ora, tendo em conta o facto de, aparentemente, a obra estar concluída, o eleito da CDU na Assembleia de Freguesia de Custóias, Eduardo Pena, foi um pouco mais longe, questionando o presidente da junta, José Tunes, sobre a realização de obras de remodelação no edifício.

 

Em resposta, o autarca mostrou-se insatisfeito com a situação e deu a conhecer uma missiva do comando geral da GNR recebida naquele mesmo dia, onde era afirmado que estes aguardam instruções da Ministério da Administração Interna para a realização da cerimónia.

 

Ao que parece, existem dois tipos de informações. Segundo o presidente da Junta de Custóias, o responsável concelhio pela mesma força policial referiu que a não abertura do espaço se deve ao facto de ainda não ter sido instalado o gás.

 

Centro de saúde

 

Mário Santos (PSD/PP) e Carlos Marinho (PS) chamaram a atenção para a questão da construção do centro de saúde. Para ambos os eleitos, a construção deste equipamento torna-se fundamental, uma vez que existem dificuldades na ligação ao centro da Senhora da Hora.

 

"O centro de saúde é um equipamento fundamental para uma população que está bastante envelhecida. Sei que, na Senhora da Hora, algumas pessoas têm sido recusadas por falta de médicos", esclareceu o deputado social democrata.

 

Em resposta às intervenções anteriores, José Tunes lembra o papel desempenhado pela câmara municipal em todo o processo, nomeadamente na oferta do terreno e do projecto para o equipamento. "Ainda foi feito o concurso público. No entanto, na altura em que se iria entregar o processo à empresa vencedora, voltou tudo à estaca zero".

 

O autarca lamentou uma intervenção do presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde de Matosinhos. Segundo as palavras de Nuno Morujão "O Centro de Saúde de Custóias não se justifica".

 

Luta continua

 

No entanto, José Tunes deixou um apelo de união entre todos os representantes das formações partidárias e à população da vila para que não deixem de lutar pelo equipamento, considerando mesmo que "o sonho ainda não terminou".

 

Nos outros pontos da ordem de trabalhos, o organismo aprovou, com a abstenção do PSD/PP e da CDU, o orçamento e o Plano de Actividades para 2004. A Assembleia de Freguesia de Custóias rectificou, ainda e por unanimidade, os novos símbolos heráldicos da freguesia na sequência da elevação da localidade à categoria de vila.

 

 

Por: Eduardo Coelho in O Primeiro de Janeiro: edição de 21-12-03

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003