Quartel de Custóias e Centro Saúde de Leça do Balio

Obras prioritárias no concelho

 

Paula Cristina Duarte, apresentou dois requerimentos, na última semana, sobre o Quartel da GNR de Custóias e do Centro de Saúde de Leça do Balio. Para a deputada socialista na Assembleia da República estas são duas obras "essenciais" para a população.

 

De forma a obter esclarecimentos sobre o atraso da abertura do Quartel da GNR de Custóias, Paula Cristina Duarte, deputada do PS, apresentou um requerimento na Assembleia da República. No documento é referido que foi estabelecido um compromisso entre o Ministério da Administração Interna e a Câmara de Matosinhos, no sentido do concelho ficar dotado de instalações "condignas" para as forças de segurança.

 

Neste sentido, desde 1998 o ministério da tutela assumiu a construção dos quartéis em Leça do Balio, Custóias, Leça da Palmeira, Perafita, Senhora da Hora e Guifões, em terrenos cedidos pela autarquia. Recorde-se que as novas instalações para a GNR custoienses já estão concluídas, contudo, ainda não estão dotadas de agentes, factor que tem atrasado a sua abertura. Perante este cenário, Paula Cristina Duarte quer saber se o ministério "garante ou não, que a entrada em funcionamento do quartel não vai fazer-se exclusivamente à custa da transferência dos efectivos instalados, há cerca de 40 anos, em Leça do Balio?", interroga.

 

Ainda no âmbito da segurança, a deputada do PS questiona para quando a construção das novas instalações para as forças de segurança balienses. O atraso na construção do quartel da GNR de Leça do Balio deve-se ao facto do projecto inicial não se ter adaptado ao terreno. Perante este cenário o desenho inicial teve de ser alterado.

 

Centro de saúde

 

Outro dos assuntos levantados por Paula Cristina Duarte foi o Centro de Saúde de Leça do Balio. Recorde-se que apesar deste equipamento estar contemplado há alguns anos do PIDDAC, este ano o Governo retirou-nos dos investimentos da administração central. Além disso Nuno Morujão, presidente da administração do Hospital Pedro Hispano, já declarou, em diversas ocasiões, que este centro e o de Custóias "não são prioritários". Actualmente a população destas duas vilas tem de deslocar-se às unidades da Senhora da Hora e S. Mamede de Infesta. Neste sentido, a deputada socialista interroga o presidente da assembleia como está a ser encaminhado o projecto uma vez que "foi aberto o concurso público e apresentadas propostas pelas empresas concorrentes, mas não foi dado seguimento ao processo, razão pela qual, muito provavelmente o concurso foi anulado", questiona.

 

 

Por: Pedro Miguel Rodrigues in O Primeiro de Janeiro edição de 28-04-04

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003