População de Custóias insatisfeita com o traçado previsto para o IP4

Narciso apela à serenidade

 

O salão nobre da Junta de Custóias foi pequeno para os que se quiseram associar à reunião durante a qual Narciso Miranda explicou o traçado do IP4 na zona. É que o projecto está longe de ser pacífico.

 

Dar a conhecer o traçado do IP4 em Custóias foi o principal objectivo de uma reunião de residentes na freguesia, que se realizou no salão nobre da autarquia local e que contou com a presença de Narciso Miranda. O encontro ficou, no entanto, marcado pelos protestos de algumas pessoas que se quiseram manifestar contra o traçado previsto, ao mesmo tempo que se mostravam insatisfeitas com a exiguidade do espaço.

 

Uma das questões também debatidas foi a necessidade de construir um novo campo para o Custóias Futebol Clube. Segundo o presidente da câmara municipal, o actual terreno de jogo deverá ter os dias contados.

 

“Já existe um compromisso do Instituto de Estradas de Portugal para um novo campo a Norte do actual, com dimensões oficiais e relvado sintético. Resta uma única dúvida: quero saber quem vai ser o proprietário do terreno: a câmara municipal ou a própria colectividade? Recorde-se que o actual local é privado”, advertiu.

 

Ainda nesta zona, localizada próximo do Estabelecimento Prisional do Porto (EPP) Narciso Miranda informou que irá ser construída uma nova artéria que fará a ligação entre a Rua António José Almeida e o EPP.

 

Quinta do Vieira

 

Outro dos pontos onde existem alguns problemas é na Quinta do Vieira, já que o traçado “rapa” alguns edifícios de habitação. Para Narciso Miranda esta é uma situação muito delicada que deve ser analisada com o maior dos cuidados. Ainda durante a reunião, o autarca referiu-se a uma casa de lavoura existente no traçado que poderá estar em risco, o mesmo acontecendo com habitações em Gatões e Monte dos Pipos. Narciso Miranda salientou a importância do nó de Custóias, já que este terá como função distribuir o tráfego para todos os sentidos. Segundo o autarca, este nó irá criar uma nova centralidade na freguesia e, à semelhança de outras freguesias do concelho por onde passa o IP4, serão reconstituídas todas as ligações anteriormente existentes. No entanto, a polémica em torno do traçado desta nova acessibilidade parece estar aí para lavar e durar.

 

 

Por: Eduardo Coelho in O Primeiro de Janeiro edição de 19-05-04

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003