Encontro: Escolas promotoras da saúde do concelho partilharam experiências

Fomentar hábitos de vida saudáveis

 

Educar, formar e informar os jovens no sentido da promoção da saúde. É este um dos principais objectivos de um projecto em que algumas escolas do concelho aparecem envolvidas e que foi, formalmente, apresentado na passada quinta-feira, num encontro que pretendeu, acima de tudo, assumir-se como um espaço de reflexão e partilha de experiências. A escola E.B. 2,3 de Santiago de Custóias abriu as portas a uma tarde em que os temas ligados à saúde estiveram na ordem dos trabalhos.

 

Educar para a saúde é o objectivo de uma série de projectos em que algumas escolas do concelho têm vindo a trabalhar, em parceria com a Unidade Local de Saúde de Matosinhos. O resultado pretendido é, acima de tudo, incentivar os jovens à prática de hábitos de vida saudáveis. Um mesmo objectivo para projectos a serem trabalhados de formas diferentes. Daí este encontro. Responsáveis do Agrupamento Vertical de Custóias, da E.B. 2,3 de Leça da Palmeira, da Escola Secundária do Padrão da Légua e da E.B. 2,3 da Senhora da Hora debateram e reflectiram sobre os diferentes projectos, que, tal como começou por explicar o presidente da Comissão Executiva Instaladora do Agrupamento Vertical, "representam uma forma de estar na escola em que todos acreditam".

 

Leça da Palmeira foi a primeira a apresentar o seu projecto. Apenas um dos exemplos, a reunir, contudo, vários pontos em comum com os restantes. Afinal, o fim será sempre o mesmo. A focar, essencialmente, três grandes áreas - Educação Sexual, Educação Alimentar e Tabagismo - a avaliação feita é - garantiram os responsáveis - "extremamente positiva": "No caso, por exemplo, da Educação Sexual, verificamos que já muitos professores abordam o tema nas aulas. Inicialmente, havia alguma inibição em fazê-lo, mas já existem, de facto, barreiras que estão a ser quebradas". Nesta área específica, a estratégia seguida foi a de aposta na formação dos adultos para que estes chegassem, depois, aos mais jovens. E o balanço feito é positivo. "Desenvolvemos acções de formação com os directores de turma, auxiliares de acção educativa e encarregados de educação. Isto, porque, depois de alguma análise, facilmente percebemos que os alunos queriam, de facto, abordar a temática da Educação Sexual", concluíram.

 

 

Por: Carla Festas  in Matosinhos Hoje edição de 02-06-04

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003