Câmara emprega amigos e familiares do presidente

 

Concursos Públicos: Cinco sobrinhos e dois cunhados de Narciso trabalham no Município. Vários assessores, motoristas e apoiantes políticos estão também acompanhados dos parentes.

 

Na Câmara Municipal de Matosinhos trabalham cinco sobrinhos de Narciso Miranda. E poderiam ser sete se duas não tivessem sido requisitadas pela APDL e agora não pertencem aos quadros da Administração dos Portos de douro e Leixões. Quanto a cunhados, há uma que trabalha nos Paços do Concelho e outro que está colocado nos SMAS (Serviços Municipalizados de Água e Saneamento). Há ainda um outro cunhado que embora se tenha reformado da EFACEC e não conste dos quadros da Câmara, apresenta-se a chefiar piscinas municipais. Na esmagadora maioria dos casos, a admissão foi feita através de concurso público.

 

Entre o seu vasto staff - um chefe de gabinete, duas adjuntas, três secretárias, dez assessores e dois auxiliares - o presidente da câmara conta, ainda com três motoristas, um dos quais é irmão do namorado da sua filha mais velha e que, por sua vez, tem como colega de trabalho a sua esposa. Apesar de se ter reformado recentemente, um dos motoristas continua a estar diariamente ao serviço, talvez para acompanhar a mulher, a filha e a sobrinha - todas funcionárias da Câmara de Matosinhos.

 

Este não é o único motorista aposentado que permanece em funções e tem vários familiares a trabalhar no Município. Um ex-motorista de um vereador - que depois de se ter reformado precocemente (antes dos 49 anos), passou a ter uma avença mensal na Matosinhos Sport - viu, em 1999, a filha entrar para os quadros e, pouco antes de passar à aposentadoria, a esposa foi igualmente admitida como funcionária.

 

Os motoristas não são a única classe profissional que permanece ligada à Câmara de Matosinhos, mesmo depois da reforma. Há outros aposentados que são vistos diariamente a trabalhar, talvez devido aos fortes laços familiares que têm no emprego. É o caso de um adjunto que se reformou em 2002 - actualmente não tem qualquer vínculo, mas é tido como um dos homens mais próximos do presidente - e que tem o irmão, a irmã, dois sobrinhos e uma sobrinha do irmão nos quadros da edilidade. Como qualquer político Narciso Miranda cedo se rodeou de apoiantes e de pessoas da sua confiança.

 

Depois de a sua secretária Paula Cristina Duarte ser eleita deputada à Assembleia da República, por exemplo, acabou por arranjar uma prima da deputada para o secretariar. Por seu lado, o vice-presidente, Manuel Seabra, entrou, em 1988, para a Câmara e teve uma rápida ascensão. quando subiu a vereador, teve como colega o pai. entretanto casou duas vezes e tanto a primeira como a actual mulher são funcionárias camarárias. Um dos adjuntos de vereação e que está colocado no gabinete de Narciso Miranda - um lugar de nomeação política e não sujeito a concurso - é um ex-deputado socialista que por sua vez, tem o filho a colaborar, mediante uma avença mensal, na Matosinhos Sport (empresa municipal presidida pelo próprio autarca).

 

Caso curioso é também o de outro assessor de Narciso. Exerceu funções nos SMAS e na Docapesca e destaca-se, agora, no gabinete do presidente, embora sem qualquer vínculo oficial à instituição. em contrapartida, tem fortes relações familiares, já que a sua filha também foi nomeada para apoiar a Vereação e uma sobrinha e a companheira do filho são funcionárias do Município de Matosinhos. Se há quem esteja sempre na Câmara e não conste dos quadros, também há casos de empregados que parecem ser invisíveis. Um dos exemplos mais flagrantes é um animador da Rádio Clube de Matosinhos, que entrevista semanalmente o autarca e é das vozes mais habituais e populares da estação. Pertence aos quadros, no sector da Manutenção e Vigilância dos Paços do Concelho, e ainda colabora, a troco de uma avença, na ANCIMA (Associação para a Animação da Cidade de Matosinhos, que organiza as festividades anuais do Senhor de Matosinhos). As ligações entre a Câmara e a rádio não ficam por aqui. O director e sócio da estação local foi nomeado administrador da Matosinhos Habit, por proposta de Narciso (que preside também à empresa municipal) e o seu filho é o encarregado dos motoristas. Os ex-líderes da Juventude Socialista local demonstraram também tendência para ganhar concursos públicos. Já lá está um e tem a companhia da cunhada. Um outro está em vias de entrar e já o espera a namorada.

 


 

"Só uma sobrinha na Câmara"

 

"Todos os funcionários que entraram para a Câmara de Matosinhos foram submetidos a concurso público. E todos os concursos são apreciados por júris insuspeitos, dos quais eu nunca faço parte" - foi este o comentário de Narciso Miranda quando confrontado com a investigação do JN, que apurou a existência de vários familiares do presidente e dos seus colaboradores mais próximos nos quadros da Câmara Municipal de Matosinhos. O autarca acrescentou apenas que só tem uma sobrinha a trabalhar na Câmara, como adjunta de um vereador, cargo de nomeação e que não exige concurso público. Embora tenha recusado nomear a familiar, o JN sabe que se trata da secretária do vereador do Desporto, António Rijo.

 

 

 Por: Helena Norte in Jornal de Notícias edição de 25-01-04

 

 

Voltar atrás

 

Webmaster: Hugo Costa 2003